Decoração Dicas para casa Faça você mesmo - DIY

Slow Design: precisamos falar sobre isto

Oi pessoal! Com um mundo cada vez mais consumista onde ninguém está satisfeito com o que tem e sempre quer mais surge o conceito de Slow Design, vocês já ouviram falar? Então eu vou falar um pouquinho sobre ele.

Vou explicar rapidamente o porquê deste nome. Slow Design foi inspirado no movimento Slow, onde está incluso o Slow Food (em relação à comida) e Slow Fashion (em relação à moda) que nada mais é que adquirir algo durável, que você possa usufruir por mais tempo e que não seja algo descartável, por exemplo.
Bandeja reutilizando cinto velho, tem post aqui.
Sabe aquela ideia de comida rápida e totalmente prejudicial à saúde que você engole correndo em vez de saborear? Ou então aquela blusinha que pagou super barato e que depois de duas lavagens já ficou inutilizada? O conceito de Slow é totalmente ao contrário, valorizando comidas mais saudáveis, saboreadas com calma ou então roupas que irão durar mais mais tempo diminuindo a necessidade de nova compra. Eu até já dei várias dicas aqui no blog para customizar roupas e dar uma cara nova para elas, sem precisar se desfazer.
E em relação à decoração não é diferente. O conceito de Slow Design destaca móveis e objetos que sejam úteis para você, com o pensamento de “compre apenas aquilo que lhe sirva, desde que seja bem-feito e durável”. Este movimento tenta despertar a conscientização na hora da compra, valorizando objetos que não sejam produzidos em massa mas sim que valorizem o artesanato, a reciclagem e a produção local.
O movimento envolve todo um conceito de comprar apenas o essencial, não trocar móveis e objetos sem necessidade e até mesmo dar uma chance para móveis herdados ou que posam ganhar uma cara nova para continuar na nossa casa.
Caixa de papelão reutilizada, tem post dela aqui.
Tá pensando o mesmo que eu? Sim, este conceito de Slow Design lembra muito a ideia de DIY, né?! A ideia de botar a mão na massa, recriar objetos que iam pro lixo, reformar móveis já antiguinhos… Esta é a base do ‘faça você mesmo’ e acaba trazendo esta ideia do movimento Slow.
Afinal, a ideia não é apenas o sentido da palavra de “slow – lento” mas sim de útil e de se ter noção do tempo certo das coisas, valorizando objetos e móveis duráveis ou que possam ser resgatados e renovados.
Porta caneta reutilizando teclado velho, tem post aqui.
Além disto, muitas vezes relacionamos a palavra Design com ‘tendência’, acreditando que precisa todo ano renovar a decoração da casa com as últimas novidades mas acaba esquecendo que a última ‘tendência’ pode estar dentro de sua casa, esquecida em algum canto como, por exemplo, uma penteadeira herdada da vó, uma mesinha comprada em brechó, etc.
Com tantos instagrans e blogs nos bombardeando com móveis e objetos de lojas caras e com decorações exageradas a gente acaba esquecendo que a nossa casa deve ser o reflexo de nossa consciência e não uma galeria de arte ou cenário para fotos apenas. Até já dei uma desabafada aqui no blog falando que a casa do Instagram não é pra mim.

Compartilhe esta dica no Pinterest!

Agora me conta, o que você acham do Slow Design?! Já conheciam?

Gostou das dicas? Compartilhe este post com os amigos clicando nos ícones abaixo!


Bjo bjo
Imagem capa: Pinterest

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Ana Paula Paz
    fevereiro 5, 2018 at 1:30 pm

    Amei!!!super adepta ❤️

    • Reply
      admin
      fevereiro 5, 2018 at 3:33 pm

      <3 que bom amiga! Eu tento, mas nem sempre é facil, o lado consumista as vezes fala mt alto hehehe

    Leave a Reply